Fator Reumatóide: o que é?

1/02/2011

Comentários

Fator Reumatóide: o que é?
“Meu fator reumatóide (FR) veio positivo. Eu tenho reumatismo?” Ou, “tenho dores, mas meu FR sempre dá negativo. Eu não tenho reumatismo?”. São perguntas comumente ouvidas por reumatologistas. Nas linhas abaixo pretendo explicar o que é o fator reumatóide e qual a implicação de um exame positivo, ou negativo.
O que é
Fator reumatóide é um anticorpo comum, com uma particularidade: gruda em outros anticorpos. Mais especificamente, gruda na porção “FC” de outros anticorpos (a parte que não varia entre diferentes anticorpos).  Na grande maioria das vezes ele é do tipo IgM (que circula em grupos de 5, assumindo forma de estrela), mas igGs (grupos de 2) e IgAs (isolado) também foram descritos.
Que condições têm Fator Reumatóide positivo?
O FR foi descrito em 1940 por Waaler e Rose na artrite reumatóide. Esta é a doença com a qual ele é mais tradicionalmente relacionado, mas não é a única. Na verdade, o FR está presente em até 4% da população jovem saudável e em até 25% dos idosos saudáveis. Ou seja, sua presença não necessariamente indica doença. Abaixo, condições nas quais ele é descrito:
Indivíduos Saudáveis:
- Jovens: 1 a 4%
- Idosos: 6 a 25%
Doenças Reumáticas:
- Artrite Reumatóide: 26-60% dos indivíduos
- Síndrome de Sjögren: 75-95%
- Doença Mista do Tecido Conectivo: 50 – 60%
- Crioglobulinemia tipo II (Mista): 40 – 100%
- Lupus Eritematoso Sistêmico: 15 – 35%
- Polimiosite/dermatomiosite: 5 – 10%
Condições Não Reumatológicas
- Infecções crônicas: Hepatite C, Hepatite B, endocardite subaguda, etc
- Doenças pulmonares inflamatórias ou fibrosantes: p.e. sarcoidose.
- Neoplasias
- Cirrose biliar primária
- Tabagismo
- Outros
Para que serve o Fator Reumatóide?
Isso ainda não é completamente compreendido, mas a principal hipótese da atualidade atribui ao FR o papel de ajudar o sistema imune a limpar da circulação os excessos de anticorpos. Isso explicaria porque ele “gruda” em outros anticorpos e porque ele é mais freqüentemente positivo em condições onde o sistema imune está muito ativado por muito tempo.
Outras possíveis funções:
- Ajudar os anticorpos “normais” a apresentar os “invasores” ao sistema imune
- Induzir tolerância do sistema imune
O que significa um Fator Reumatóide positivo?
Com anteriormente referido, o FR não raramente é positivo em pessoas saudáveis, portanto isoladamente ele não significa quase nada. No entanto, dentro de um contexto que sugira “reumatismo”, sua presença aumenta a probabilidade de que o problema seja um dos acima mencionados. O título (a concentração) do FR também é um dado muito importante para definir se o FR indica doença ou está lá por acaso. Títulos mais altos são bastante específicos para a presença de doenças. Por exemplo, títulos superiores a 1:640 indicaram doença em 99% das vezes em um trabalho. O oposto também é verdadeiro: o título é baixo (1:40 – 1:160) na grande maioria dos indivíduos saudáveis. Entenda que existem diversos jeitos de dosar o FR e seu laboratório pode não usar este tipo de resultado. Em indivíduos que sabidamente têm artrite reumatóide, a presença de fator reumatóide em altos títulos tende a indicar uma doença mais agressiva, mas isso nem sempre é verdadeiro.
O Fator Reumatóide negativo exclui reumatismo?
Não. Mesmo em doenças onde o FR é classicamente descrito, ele não é sempre presente. Na artrite reumatóide, por exemplo, de 40 a 74% dos indivíduos têm a doença sem apresentar o FR. Sua negatividade, neste contexto, é apenas um fator a ser levado em consideração para afastar “reumatismos”.
É importante dosar o Fator Reumatóide diversas vezes?
Em geral não. Se o FR já veio positivo, dosar outras vezes em geral é inútil. Uma possível exceção a esta regra é na Síndrome de Sjögren. Alguns autores acreditam que a negativação do FR em pacientes com síndrome de Sjögren pode indicar que haja uma transformação para linfoma. Isso não foi comprovado em estudos clínicos. Se o FR foi negativo e a dúvida diagnóstica persiste, algumas mais dosagens podem ser interessantes para excluir uma positivação mais tardia.

Fator Reumatóide: o que é?

“Meu fator reumatóide (FR) veio positivo. Eu tenho reumatismo?” Ou, “tenho dores, mas meu FR sempre dá negativo. Eu não tenho reumatismo?”. São perguntas comumente ouvidas por reumatologistas. Nas linhas abaixo pretendo explicar o que é o fator reumatóide e qual a implicação de um exame positivo, ou negativo.

O que é

Fator reumatóide é um anticorpo comum, com uma particularidade: gruda em outros anticorpos. Mais especificamente, gruda na porção “FC” de outros anticorpos (a parte que não varia entre diferentes anticorpos).  Na grande maioria das vezes ele é do tipo IgM (que circula em grupos de 5, assumindo forma de estrela), mas igGs (grupos de 2) e IgAs (isolado) também foram descritos.

Que condições têm Fator Reumatóide positivo?

O FR foi descrito em 1940 por Waaler e Rose na artrite reumatóide. Esta é a doença com a qual ele é mais tradicionalmente relacionado, mas não é a única. Na verdade, o FR está presente em até 4% da população jovem saudável e em até 25% dos idosos saudáveis. Ou seja, sua presença não necessariamente indica doença. Abaixo, condições nas quais ele é descrito:

Indivíduos Saudáveis:

- Jovens: 1 a 4%

- Idosos: 6 a 25%

Doenças Reumáticas:

- Artrite Reumatóide: 26-60% dos indivíduos

- Síndrome de Sjögren: 75-95%

- Doença Mista do Tecido Conectivo: 50 – 60%

- Crioglobulinemia tipo II (Mista): 40 – 100%

- Lupus Eritematoso Sistêmico: 15 – 35%

- Polimiosite/dermatomiosite: 5 – 10%

Condições Não Reumatológicas

- Infecções crônicas: Hepatite C, Hepatite B, endocardite subaguda, etc

- Doenças pulmonares inflamatórias ou fibrosantes: p.e. sarcoidose.

- Neoplasias

- Cirrose biliar primária

- Tabagismo

- Outros

Para que serve o Fator Reumatóide?

Isso ainda não é completamente compreendido, mas a principal hipótese da atualidade atribui ao FR o papel de ajudar o sistema imune a limpar da circulação os excessos de anticorpos. Isso explicaria porque ele “gruda” em outros anticorpos e porque ele é mais freqüentemente positivo em condições onde o sistema imune está muito ativado por muito tempo.

Outras possíveis funções:

- Ajudar os anticorpos “normais” a apresentar os “invasores” ao sistema imune

- Induzir tolerância do sistema imune

O que significa um Fator Reumatóide positivo?

Com anteriormente referido, o FR não raramente é positivo em pessoas saudáveis, portanto isoladamente ele não significa quase nada. No entanto, dentro de um contexto que sugira “reumatismo”, sua presença aumenta a probabilidade de que o problema seja um dos acima mencionados. O título (a concentração) do FR também é um dado muito importante para definir se o FR indica doença ou está lá por acaso. Títulos mais altos são bastante específicos para a presença de doenças. Por exemplo, títulos superiores a 1:640 indicaram doença em 99% das vezes em um trabalho. O oposto também é verdadeiro: o título é baixo (1:40 – 1:160) na grande maioria dos indivíduos saudáveis. Entenda que existem diversos jeitos de dosar o FR e seu laboratório pode não usar este tipo de resultado. Em indivíduos que sabidamente têm artrite reumatóide, a presença de fator reumatóide em altos títulos tende a indicar uma doença mais agressiva, mas isso nem sempre é verdadeiro.

O Fator Reumatóide negativo exclui reumatismo?

Não. Mesmo em doenças onde o FR é classicamente descrito, ele não é sempre presente. Na artrite reumatóide, por exemplo, de 40 a 74% dos indivíduos têm a doença sem apresentar o FR. Sua negatividade, neste contexto, é apenas um fator a ser levado em consideração para afastar “reumatismos”.

É importante dosar o Fator Reumatóide diversas vezes?

Em geral não. Se o FR já veio positivo, dosar outras vezes em geral é inútil. Uma possível exceção a esta regra é na Síndrome de Sjögren. Alguns autores acreditam que a negativação do FR em pacientes com síndrome de Sjögren pode indicar que haja uma transformação para linfoma. Isso não foi comprovado em estudos clínicos. Se o FR foi negativo e a dúvida diagnóstica persiste, algumas mais dosagens podem ser interessantes para excluir uma positivação mais tardia.

Imprimir (Versão para impressão amigável) Assine nosso RSS
  1. junior lima disse:

    faz mais ou menos q estou com tornozelo esquerdo inchado, ja fui em varios medicos e nunca sara por ultimo fiz um exame e meu FR deu 116, gostaria de saber oq pode ser?

    Equipe Reumatologia Avançada:
    Não submetam casos individuais. Este site não pretende substituir uma consulta convencional. NADA substitui a presença física do paciente, a história clínica e os exames corretos. A intenção do serviço é beneficiar o maior número possível de pessoas, portanto APENAS questões de interesse geral (ou de grande número de pessoas) são respondidas no site. Agradecemos a compreensão.

  2. Maria de Fátima Borges disse:

    Minha irmã apresentou FR elevado, em torno de 800. Logo depois foi diagnosticado mieloma múltiplo, tem alguma relação?

    Dr. Pedro Ming
    pedroming@reumatologiaavancada.com.br
    Sim. Fator reumatóide elevado não é uma exclusividade de artrite reumatóide ou de outros “reumatismos”. Algumas doenças não reumáticas, como o mieloma múltiplo, também elevam o fator reumatóide. Para detalhes leia “Fator Reumatóide: o que é

  3. Meu ultimo exame de sangue o FR mostrou 1020, estou tratando artrite reumatoide, pois tenho dores nas articulaçoes, estou preocupada com o FR assim tão alto. minha médica não diz nada, quando senti as primeiras dores nas mão 8 meses atraz, o FR estava em 316 e só foi aumentando. gostaria se for possível uma orientação. att Ionilse

    Dr. Pedro Ming
    O fator reumatóide (FR) não é um marcador de atividade. Isto quer dizer que valores maiores ou menores não correspondem a doença mais ou menos ativa. Ou seja, preocupe-se com os sintomas e provas inflamatórias e nao com o FR. Mais detalhes, leia aqui.

Envie um Comentário ou Pergunta!